empréstimo-para-casamento
Planejamento

Empréstimo é uma boa ideia para pagar o casamento dos sonhos?

Na hora do sufoco, é comum os noivos pensarem em fazer um empréstimo para casamento para conseguir arcar com os gastos da festa. Mas isso vale a pena?

Vamos ser claros, é absolutamente possível ter um casamento lindo com qualquer orçamento. O problema é que na ansiedade de ter uma festa, durante o planejamento você se encontra sem dinheiro para terminar de pagar seu sonho. Isso pode ocorrer devido a falta de planejamento, um problema inesperado e até por querer fazer tudo mesmo sem um tostão.

Para ter um baixo custo você precisa economizar e definir suas prioridades sabendo o valor que pode gastar. Não digo que é fácil, mas digo é possível. Se você tem R$ 30.000 e quer um casamento em um espaço top, vai ter que desistir de ter um casamento noturno em um sábado.

Muitos planejam uma festa para 300 convidados e no meio no caminho percebem que tudo está caro demais, o dinheiro reservado não será suficiente e a opção será reduzir a lista. Sei de meninas que tiveram festas riquíssimas e na casa não tinha nada, e outras que ficaram pagando a festa após 2 anos do evento. Será que vale a pena?

Como adiar uma festa de casamento sem alarde

Não importa onde você vive, poupar e pagar por um casamento é uma parte importante do processo de planejamento.

Primeiro

Não existe “empréstimo para casamento”. Você não pode simplesmente entrar em um banco e solicitar um empréstimo para isso, terá que usar um empréstimo pessoal para financiar seu sonho. A maioria dos consultores financeiros vai te dizer para não fazer isso, e eles estão certos.

O problema com o empréstimo é que na maioria das vezes as pessoas estão contratando porque estão tentando gastar um dinheiro que não tem. Os empréstimos pessoais são bons para iniciar um pequeno negócio ou a compra de um bem como carro e casa.

empréstimo casamento - noiva fazendo orçamento

Devo fazer empréstimo para meu casamento? NÃO!

Não é uma boa idéia cobrir os custos do casamento com um dinheiro que na realidade não existe, seja por empréstimo pessoal ou pelo cartão de crédito, já que passar tudo no cartão pode no futuro virar uma grande bola de neve em que você não consegue terminar de pagar nunca.

O cartão de crédito pode ser uma boa opção quando a pessoa controla muito bem os gastos, consegue planejar e pagar a fatura na sua totalidade. Nada de pagar o mínimo! Se você consegue fazer isso pode ter vantagens, já que usando o cartão você pode ganhar pontos/milhas que são trocados por passagens e hotéis.

Pense positivo!

Não há nenhum mal em ter um longo noivado. Os principais salões de festas já estão reservados há mais de um ano, então de qualquer maneira você terá que esperar. Pense que esse longo prazo faz com que você tenha tempo suficiente para planejar o casamento e realmente fugir de dívidas. É muito melhor adiar em seis meses a um ano para controlar melhor seu dinheiro e sair tudo melhor do que você imaginava.

Você realmente quer começar seu casamento em dívidas? Uma boa divida seria pagar o financiamento do apartamento ou casa dos sonhos.

O Banco Itaú tem uma ferramenta gratuita para ajudar a calcular o quanto você deve investir mensalmente para realizar esse sonho. Faça o teste aqui!

Há muitas maneiras de economizar independentemente do seu orçamento. Sei que a conta é grande e dolorida mas existem muitas maneiras de realizar um sonho com os pés no chão e paciência.

A pior coisa é você pagar caro por algo só para aparecer para as pessoas ou para dizer que sua festa foi melhor que a da fulana. Seu casamento será melhor que do outro se tiver mais amor, se a festa foi divertida, se teu noivo participou de tudo com você ou se vocês estão felizes.

Boa sorte! Bjs

Junte-se ao
Uma vez por semana lhe enviaremos nossa seleção de insights, tendências e tudo o que você precisa saber para que o grande dia seja inesquecível!
GUIA PARA
NOIVAS SEM TEMPO
O “GUIA PARA NOIVAS SEM TEMPO” irá ajudá-la, de um modo muito fácil, a planejar sua festa de casamento durante o horário de trabalho sem perder em produtividade e, o mais importante, sem perder o emprego!